domingo, 16 de janeiro de 2011

BRASIL EM LUTO OFICIAL PELAS VITIMAS DAS CHUVAS NO RIO DE JANEIRO (01/2011). APROVEITE PARA SER SOLIDÁRIO!



MAIS DE 600 MORTOS NA REGIÃO SERRANA 
DO RIO DE JANEIRO

Em toda a região Serrana do Rio de Janeiro, sobretudo nas  cidades de Nova Friburgo e Teresópolis, desde a chuva forte que começou a cair na terça-feira (11), mais de 600 corpos já foram encontrados, sendo registrado, também, um grande número de desaparecidos. 
Fonte: http://oglobo.globo.com/fotos/2011/01/12/12_MHG_RIO_1201_serra7.jpg

Nos sete municípios atingidos (Nova Friburgo, Teresópolis, Bom Jardim, Areal, Petrópolis, Brejal e Sumidouro) o número de desabrigados e desalojados chega a 15 mil. O Exército anunciou que neste domingo vai começar a montar pontes móveis para facilitar o acesso a algumas cidades.

Em Teresópolis, também voltou a chover no sábado (14). Aos poucos, os problemas de comunicação na cidade começam a se resolver, mas 60% da população continua sem abastecimento de água. A cidade recebe reforço de mais 130 homens da Força Nacional e os desabrigados ganharam quatro telefones gratuitos para. 

O governador Sérgio Cabral decretou Luto Oficial no Rio de Janeiro, pelas vítimas das chuvas. O decreto, assinado na sexta-feira (14), entra em vigor na próxima segunda (17), quando será publicado no diário oficial.
Fontehttp://oglobo.globo.com/fotos/2011/01/13/13_MHG_tere.jpg

A presidente da República, Dilma Rousseff, decretou luto oficial de três dias. 
 
Essa tragédia que atingiu a Região Serrana do Rio de Janeiro é o maior desastre natural, em número de mortos, do país.

Fonte: GI - Portal de Notícias da Globo. Disponível em:http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/chuvas-no-rj/noticia/2011/01/buscas-por-desaparecidos-na-regiao-serrana-do-rio-entram-no-5-dia.html Obs: O texto original foi alterado pela autora da postagem em virtude torná-lo mais sucinto

Nenhum comentário:

Pesquise aqui...


“Como professor, não me é possível ajudar o educando a superar sua ignorância, se não supero permanentemente a minha”. Paulo Freire