domingo, 31 de janeiro de 2010

"Uma coisa é você achar que está no caminho certo, outra é achar que o seu caminho é o único. Nunca podemos julgar a vida dos outros, porque cada um sabe da sua própria dor e renúncia." Paulo Coelho (Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei)

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

LIVRO SOCIOLOGIA DOS DESASTRES - CONSTRUÇÃO, INTERFACES E PERSPECTIVAS NO BRASIL está disponível, também, em versão digital


A cada ano, em períodos de chuvas mais intensas, repetem-se pelo Brasil as cenas de tragédias provocadas por enchentes e deslizamentos de terra. Esses desastres periódicos são, muitas vezes, indevidamente atribuídos apenas à intensidade dos fenômenos naturais. No entanto, na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), um grupo de especialistas no tema adota uma perspectiva mais crítica: os desastres são recorrentes no país por falta de uma cultura de prevenção e proteção civil.

Essa é uma das principais conclusões do livro Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil, lançado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Sociais em Desastres (Neped), do Departamento de Sociologia da UFSCar. A obra é fruto dos estudos realizados no núcleo desde 2003 e reúne artigos de 12 especialistas diferentes.

Organizado pela coordenadora do Neped, Norma Valêncio, e pelos pesquisadores Mariana Siena, Victor Marchezini e Juliano Costa Gonçalves, o livro tem o objetivo de contribuir para o aperfeiçoamento do Sistema Nacional de Defesa Civil.

De acordo com Mariana, o foco do grupo é a relação entre desastres, direitos humanos, defesa civil e dimensões políticas e institucionais. “Estudamos também as dimensões psicossociais dessa associação. Para isso, trabalhamos com entrevistas in loco, por exemplo, com moradores que perdem suas casas em desastres”, disse Mariana à Agência FAPESP.

Sob a orientação de Norma, a pesquisadora desenvolve atualmente, com auxílio da FAPESP, um estudo de doutorado com o tema “Vulnerabilidade diante dos eventos extremos relacionados às mudanças climáticas: uma análise sociológica do discurso e prática da assistência social em cenário de desastre associado às chuvas”.

Segundo Mariana, praticamente todos os estudos realizados pelo Neped convergem para a constatação de que não há, no Brasil, uma cultura relacionada à prevenção e à proteção civil em relação a desastres. De acordo com a pesquisadora, o caso dos desastres ocorridos recentemente em Angra dos Reis (RJ) é um exemplo atual de uma constatação feita pelos especialistas no livro: os órgãos públicos têm dificuldades para reagir aos desastres.

"Se houvesse prevenção, a espacialização da população não geraria desastres. Se há fatores que caracterizam ameaça, é preciso preparar a população. E, após o resgate, é preciso buscar maneiras de reabilitar a população imediatamente e fazer uma reconstrução resiliente", disse.

A ineficiência do sistema de defesa civil, segundo Mariana, não se resume à incapacidade de resposta imediata. Ela é percebida especialmente no trabalho de prevenção quase inexistente. “A falta de prevenção é generalizada e o ente público está sistematicamente ausente. As lições aprendidas com as falhas na prevenção quase nunca são incorporadas”, afirmou Mariana.


Sempre os mesmos

Cerca de 25% dos municípios brasileiros são afetados por desastres relacionados a chuvas e seca a cada ano, de acordo com dados levantados pela equipe do Neped. Segundo Mariana, os estudos feitos pelo grupo mostram que, nos últimos sete anos, a existência de desastres é verificada nos mesmos estados e municípios.

“Entre 2003 e 2007, observamos em estudos de caso que os mesmos locais e as mesmas famílias haviam sido atingidas diversas vezes. Tudo se repete periodicamente, com as mesmas características e os mesmos prejuízos. E eventualmente em situação pior, já que pessoas que mal tiveram tempo para se recuperar são atingidas novamente”, afirmou.

De acordo com Mariana, há uma estreita relação entre desigualdade social e exposição ao risco. “Os fenômenos naturais, ainda que extremos, não são desastres. Entendemos por desastre uma combinação da ameaça natural com a alta vulnerabilidade. É o que temos visto no caso dos terremotos no Haiti. O país tem grande vulnerabilidade econômica, social e institucional dos mais diversos matizes. Quando ocorre um terremoto, nesse caso temos de fato um desastre”, explicou.

Os estudos constataram, segundo Mariana, que o processo de vulnerabilidade está relacionado à indiferença social em relação ao direito de territorialização das populações empobrecidas. “É essa indiferença e o descomprometimento dos órgãos de defesa civil que tornam essas pessoas vítimas fáceis dos impactos dos desastres naturais”, disse.

Embora a vulnerabilidade tenha um componente inequívoco ligado à pobreza, a parte mais rica da população também é afetada por desastres, de acordo com Mariana. “Todos são atingidos. Mas quem tem mais poder aquisitivo dispõe também de mais facilidade para suplantar essas adversidades, reconstruir o que foi destruído e garantir a prevenção para que o desastre não se repita”, afirmou.

Os pesquisadores do Neped, segundo Mariana, realizaram nos últimos anos estudos dedicados aos diferentes grupos sociais que apresentam vulnerabilidade aos desastres. “Esses grupos são submetidos a um expressivo sofrimento social em situações de desastre. Na maioria dos casos, essas vulnerabilidades se combinam com políticas sociais precárias. Estudamos como os desastres afetam as populações de baixa renda, mulheres, idosos e crianças, por exemplo”, declarou.

Atualmente, o grupo se dedica a estudar também a vulnerabilidade a eventos extremos associados às mudanças climáticas globais. “O nosso núcleo tem hoje 18 profissionais de diversas áreas, sendo que a maior parte vem da sociologia”, disse a pesquisadora.

O livro, segundo a pesquisadora, está dividido em quatro seções. A primeira trata de políticas institucionais da defesa civil, a segunda aborda as dimensões sociais da vulnerabilidade e a terceira discute o tema “Educação para redução de desastres”.

A última seção é a única que trata de estudos feitos fora do Brasil, abordando as pesquisas feitas por Norma Valêncio na África, nas quais avaliou os impactos das mudanças climáticas sobre países do continente. “Essa seção faz uma reflexão sobre a contribuição das ciências humanas para pensar o sofrimento social no continente africano”, disse Mariana.

Notícia e imagem disponíveis em: http://www.agencia.fapesp.br/materia/11675/especiais/rotina-desastrosa.htm

Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil
Autor: Norma Valêncio e outros
Lançamento: 2010
Preço: Distribuição gratuita
Páginas: 268
Mais informações:
Mais informações: desastres@terra.com.br

Clique para ler a obra na versão digital:
http://www.ds.ufscar.br/laboratorios/neped-nucleo-de-estudos-e-pesquisas-sociais-em-desastres-1/livro-sociologia-dos-desastres-versao-eletronica

FAZER BEM É FAZER DA FORMA CORRETA! UTILIZE A CAMISINHA EM TODAS AS SUAS RELAÇÕES SEXUAIS; SE PROJETA CONTRA AS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS!


CAMISINHA? TEM QUE USAR!

29 de janeiro - Dia da Visibilidade das Travestis. "O respeito faz parte dos direitos humanos"



Principais alvos da violência discriminatória, travestis de todo o país criaram material para sensibilizar a população contra o preconceito. A campanha de promoção de direitos humanos e prevenção à aids contém toques de celular, telas de descanso e vídeos de celular, cartazes e folderes.

É a primeira vez que as travestis produzem e criam o conceito de um material destinado para elas mesmas. Com o slogan “Sou travesti. Tenho direito de ser quem eu sou”, a proposta é promover a inserção social e a imagem positiva das travestis, além de disseminar o conhecimento sobre as formas de prevenção a aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, além do o combate à violência e à discriminação.

“Como são vítimas de violência e da dificuldade de acesso a serviços públicos, como saúde e educação, as travestis tornam-se mais vulneráveis à infecção pelo HIV”, explica a diretora do Dep. de DST, Aids e Hepatites Virais, Mariângela Simão. Produzir o seu próprio material, diz, as torna protagonistas de suas próprias histórias. Na vida real, elas não são ouvidas, nem vistas. Não acolhidas de forma adequada nos serviços de saúde, elas também têm mais dificuldades para recorrer aos instrumentos necessários à prevenção às DST e outros problemas de saúde.

Notícia disponível em: http://www.aids.gov.br/data/Pages/LUMIS318B4710PTBRIE.htm

Imagem disponível em: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Geral&newsID=a2793343.xml

ASSINE A PETIÇÃO DA 'AVAZZ.ORG - o mundo em açâo' PARA O CANCELAMENTO DA DÍVIDA EXTERNA DO HAITI


Caros amigos,

É chocante: mesmo com ajuda sendo direcionada para as comunidades desesperadas do Haiti, o dinheiro sai por outro lado para pagar a dívida externa exorbitante do país. Mais de $1 bilhão de uma dívida injusta acumulada anos atrás por credores e governos inescrupulosos.

O chamado pelo cancelamento total da dívida externa do Haiti está ganhando força ao redor do mundo e já convenceu alguns governantes. Porém, rumores dizem que outros países credores ainda estão resistindo. O tempo é curto: os Ministros das Finanças do G7 irão tomar uma decisão semana que vem em um encontro no Canadá.

Vamos gerar um chamado global por justiça, compaixão e bom senso para o povo do Haiti neste momento de tragédia. A Avaaz e parceiros irão entregar o chamado pelo cancelamento da dívida externa diretamente no encontro.

Vale lembrar que, mesmo antes do terremoto, o Haiti já era um dos países mais pobres do mundo. Depois que os escravos Haitianos ganharam (eu, Tânia, diria conquistaram) a independência em 1804, a França demandou bilhões em indenização – lançando uma espiral de pobreza e dívidas injustas que já duram dois séculos.

Há alguns anos, campanhas globais pelo cancelamento de dívidas externas despertaram a consciência do mundo. Nos últimos dias, sob uma pressão crescente, financiadores começaram a dizer a coisa certa sobre o cancelamento da dívida externa do Haiti, que ainda é um fardo devastador para o país.

Porém o problema está nas entrelinhas. Depois do tsunami em 2004, o FMI anunciou um alívio no pagamento da dívida externa dos países atingidos – mas os juros continuaram a acumular. Quando a atenção pública diminuiu, os pagamentos da dívida eram maiores do que nunca.

Chegou a hora de cancelar a dívida externa do Haiti incondicionalmente para garantir que a ajuda enviada seja em forma de doação e não empréstimo. Uma vitória agora irá afetar a vida das pessoas do Haiti, mesmo depois que a atenção do mundo se dissipar. Participe do chamado pelo cancelamento da dívida externa e depois encaminhe este alerta para pessoas que se preocupam também:

Clique para assinar a petição: http://www.avaaz.org/po/haiti_cancel_the_debt_7/98.php

Enquanto assistimos as imagens na televisão e pela Internet, é difícil não se comover. E a relação dos países ricos com o Haiti é de fato bastante obscura.

Porém, momentos como este podem trazer transformações. Ao redor do mundo, milhões de pessoas fizeram doações para salvar vidas no Haiti. Apoiadores da Avaaz contribuíram mais de USD$ 1 milhão nos últimos 10 dias. Porém, nós precisamos erguer as nossas vozes como cidadãos globais para trazer à tona as causas humanas que deixaram nossos irmãos e irmãs do Haiti tão vulneráveis aos desastres naturais.

Não podemos fazer o suficiente para mudar tudo, mas vamos fazer tudo que podemos.

-/-

Curiosidade - O que significa Avaaz? "Avaaz" significa “voz” em várias línguas asiáticas, européias e do Oriente Médio.

O que é a Avaaz.org - O mundo em ação? A Avazz.org uma comunidade formada por cidadãos de diversos países que estão unidos para enfrentar grandes questões sócio-econômicas e ambientais por meio de diversas manifestações, fazendo uso, também do ciberativismo para conseguir mais membros que estejam comprometidos com a cidadania e com o respeito aos seres humanos. "A meta do Avaaz é garantir que as opiniões e os valores da população mundial sejam a base para as decisões internacionais. Os membros da Avaaz.org atuam em prol de um mundo mais justo e pacífico e de uma globalização mais humana".

Conheça e participe das petições e das campanhas do Avaaz!
Acesse: http://www.avaaz.org/po/

Nota: A imagem contida nesse texto foi divulgada hoje pelo "Yahoo!Notícias" e mostra a luta de haitianos por alimento em Porto Príncipe. A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês) solicitou o apoio de doadores internacionais a um plano de investimento de 700 milhões de dólares no setor agrícola do Haiti, para ajudar a reconstruir o país após o devastador terremoto.
Saiba mais em: http://br.noticias.yahoo.com/s/reuters/manchetes_haiti_fao_doacoes

ACESSE http://www.direito.ufmg.br/edhmg E BAIXE MATERIAIS DO TEMA "EDUCAÇÃO E DIREITOS HUMANOS"

O Comitê Mineiro de Educação em Direitos Humanos, fruto da mobilização de entidades de direitos humanos, acaba de lançar um site disponibilizando textos, livros e apostilas para educadores da área. A iniciativa é do Fórum Mineiro de Direitos Humanos, em parceria com a Secretaria Especial de Direitos Humanos do governo federal .

O Núcleo de Direitos Humanos da Pró-reitoria de Extensão da PUC Minas, juntamente com o grupo Paidéia Jurídica (da UFMG) e outros órgãos públicos de direitos humanos, é o responsável pelo conteúdo do site.

O material disponibilizado parte do princípio que a educação em direitos humanos é “um processo sistemático e multidimensional, que orienta a formação do sujeito de direitos, articulando as seguintes dimensões: apreensão de conhecimentos historicamente construídos sobre direitos humanos e a sua relação com os contextos internacional, nacional, regional e local; afirmação de valores, atitudes e práticas sociais que expressem a cultura do objeto de estudo em todos os espaços da sociedade; formação de uma consciência cidadã capaz de se fazer presente nos níveis cognitivo, social, ético e político; e desenvolvimento de processos metodológicos participativos e de construção coletiva, utilizando linguagens e materiais didáticos orientados à mudança de mentalidades e de práticas individuais e coletivas que possam gerar ações e instrumentos em favor da promoção e da ampliação dos direitos humanos”.

O site apresenta, ainda, textos e reflexões sobre os cinco eixos do Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos: educação básica; educação superior; educação não formal; educação dos profissionais dos sistemas de justiça e de segurança e educação e mídia.

Professores, educadores formais e não-formais, estudantes e pesquisadores do tema da Educação em Direitos Humanos poderão acessar e baixar todo o material no endereço: http://www.direito.ufmg.br/edhmg/

Notícia divulgada pela Puc Minas em 27/01/2010

CURSOS DE CAPACITAÇÃO GRATUITOS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 2010 NA PUC MINAS - Inscrições abertas até o dia 12/02

O Núcleo Sociedade Inclusiva da Proex (Projeto de Extensão, em parceria com o Instituto Ester Assumpção, oferece cursos do Programa de Capacitação para Pessoas com Deficiência. As aulas serão oferecidas nas unidades Coração Eucarístico, São Gabriel, Barreiro, Betim, Contagem e no Edifício Dom Cabral (avenida Brasil, 2023, Praça da Liberdade). As inscrições para o primeiro semestre de 2010 estão abertas até o dia 12 de fevereiro.

O objetivo é capacitar pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, mental e/ou múltipla), prioritariamente de baixa renda, para a inclusão no mercado de trabalho. Podem se candidatar aos cursos pessoas com deficiências que tenham idade igual ou superior a 16 anos.

Durante os mais de cinco anos de atividades do Programa de Capacitação para Pessoas com Deficiência, já participaram quase duas mil pessoas com algum tipo de deficiência. Para a coordenadora do programa, professora Rosa Maria Corrêa, mais do que capacitação, os alunos resgatam a dignidade e a cidadania. “Os cursos oferecidos amenizam, mas não resolvem o problema. Muitos deles ainda sofrem com o baixo nível de escolarização, o que dificulta contratações”, salienta a professora.

Cursos oferecidos:

- Informática Básica (São Gabriel / Contagem / Barreiro / Betim)

- Informática Básica - Acessível para pessoas com deficiência visual (Barreiro)

- Inclusão Digital (São Gabriel / Betim)

- Auxiliar Administrativo (Praça da Liberdade / Contagem / Barreiro / Betim)

- Vivência de Formação Profissional - Auxiliar de Jardinagem (Coração Eucarístico)

- Vivência de Fomação Profissional - Auxiliar de Limpeza (Betim)

- Massagem Terapêutica / Drenagem Linfática (Praça da Liberdade / Betim)

- Introdução à Cidadania e Direitos Básicos (Praça da Liberdade)

Informações e inscrições:

(31) 3319-4927 ou 3319-4977 (segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h)

Notícia divulgada pela PUC MINAS em 27/01/2010
Acesse: http://www.pucminas.br/proex/site/

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

domingo, 24 de janeiro de 2010

PARA REFLETIRMOS...

Texto - O traje da alma

Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e, de forma ríspida, pergunta:
- "Vocês sabem onde está o médico do hospital"?

Com tranquilidade, o médico respondeu:
- "Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil"?
Ríspida, redarguiu: - "Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?"
Mantendo-se calmo, contestou:
- "Boa tarde senhora! O médico sou eu. Em que posso ajudá-la?"
- "Como?! O senhor?! Com essa roupa?!?..."
- "Ah, senhora, desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta..."
- "Oh, desculpe, doutor, boa tarde! É que...vestido assim, o senhor nem parece um médico..."
- "Veja bem como são as coisas" - disse o médico. "As vestes parecem não dizer muita coisa, pois quando a vi chegar, tão bem vestida, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um "boa tarde!".

Disponível em: http://www.velhosabio.com.br/mensagem/166/O+traje+da+alma.html

sábado, 23 de janeiro de 2010

TENHA ATITUDE CONTRA TODAS AS FORMAS DE PRECONCEITO!

DIGA NÃO À XENOFOBIA!

O teu cristo é judeu,
Tua máquina é japonesa,
Tua pizza é italiana,
Tua democracia é grega,
Teu café é brasileiro,
Teus números são árabes,
Tuas feições são latinas (...)
e tu chama o teu vizinho de estrangeiro!
Carlo Giuliani)

"O meu querer é complicado demais, Quero o que não se pode explicar aos normais".

Às vezes é muito difícil assumir o que queremos, por isso creio que aquele que diz não se importar com o que os outros pensam está, inutilmente, enganando a si mesmo.

É claro, não devemos viver tendo como embasamento a maneira como as pessoas irão nos julgar, mas, também, sabemos que dificilmente conseguiremos viver bem se somos minados pela opinião alheia freqüentemente.

"Para assumir o que se quer é necessário se responsabilizar por esse querer e por todas as conseqüências advindas do mesmo". Tânia B. Teodoro

Veja o vídeo "o que não se pode explicar aos normais" da Banda Catedral: http://www.youtube.com/watch?v=5AC4Vaj86IY

EAD - Curso de extensão 'Sistemas de Gestão Ambiental' gratuito < Universidade de Sorocaba

O curso de extensão Sistemas de Gestão Ambiental é um curso gratuito, com carga horária de 20h, destinado a pessoas que já concluíram o ensino superior.

O curso será ministrado pelo Prof. Ms. Paulo Mendonça
Currículo: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4264576E9

Início das inscrições: 04/01/2010
Término das inscrições: 28/01/2010

Início do curso: 02/02/2010
Término do curso: 25/02/2010

Para se inscrever, acesse http://www.uniso.br/ead/sitecet/index.asp?arq=SGA

Enviaremos e-mail para todos inscritos na semana do dia 25/01. O número de vagas é limitado e a seleção será feita por ordem de inscrição.

As aulas acontecerão em um ambiente virtual, o TelEduc.
Sugerimos o seguinte pré-requisito do sistema:
- Computador com navegador de internet
Internet Explorer ou Mozilla Firefox)
- Acesso a Internet
recomendamos banda larga)
- Plugins do Adobe Flash Player e Adobe Reader instalados.
Os alunos inscritos só serão certificados ao final do curso se:
- efetuarem a matrícula regularmente (inscrição e envio dos documentos)
- participarem de todas as atividades propostas pelo professor

http://www.uniso.br/ead/sitecet

"Essa justiça desafinada é tão humana e tão errada"...

A 'JUSTIÇA' QUE CONHECEMOS NUNCA SERÁ CAPAZ DE PUNIR ALGUÉM A PONTO DE AMENIZAR A DOR CAUSADA NO OUTRO...

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Bolsas de pós-graduação na Espanha

Prezados(as) colegas,

A Fundação Carolina anunciou a abertura de processo seletivo para 1.645 bolsas para estudantes de países ibero-americanos interessados em cursar pós-graduação na Espanha. As inscrições, na maior parte dos casos, estarão abertas até o dia 1º de março.
A iniciativa do governo espanhol oferece auxílio financeiro que varia de acordo com cada modalidade. As bolsas são voltadas para praticamente todas as áreas do conhecimento.
Das 1.645 bolsas, 1.092 são para estudos de pós-graduação, 248 para doutorado ou pesquisas de curta duração e 252 para a formação permanente. Esta última modalidade é direcionada exclusivamente a latino-americanos e espanhóis.
O processo seletivo consiste em análise de currículo e entrevistas pessoais. As avaliações serão feitas por uma comissão julgadora, composta por integrantes da Fundação Carolina e das universidades que oferecem os cursos.
São quatro os programas de estímulo à formação da Fundação Carolina: Bolsas de Pós-Graduação, Bolsas para Doutorado e Pesquisas de Curta Duração, Bolsas de Formação Permanente e Auxílios para Pesquisa.
Mais informações: http://gestion.fundacioncarolina.es

Fonte: http://www.agencia.fapesp.br/materia/11573/noticias/bolsas-de-pos-graduacao-na-espanha.htm

Agência FAPESP – O governo da Áustria oferece bolsas para estudantes estrangeiros - Inscrições até 1º/03/2010

O governo da Áustria abriu inscrições para o programa Ernst-Mach Stipendium, que oferece bolsas de estudos a estudantes estrangeiros. O prazo vai até o dia 1º de março.

As bolsas são destinadas a estudantes de graduação e para pesquisadores. Os
candidatos devem estar vinculados às áreas de ciências naturais,
tecnológicas, sociais, jurídicas, humanas, agronomia e silvicultura,
medicina, teologia e estudos artísticos.

Conhecimentos na língua alemã ou inglesa são recomendados. As bolsas se
referem ao ano letivo de 2010-2011 e podem ter duração de um a nove meses. O
auxílio oferecido é de 940 euros mensais para estudantes e recém-formados.
Para profissionais com mais de 30 anos, com o doutorado em andamento, o
benefício é de 1.040 euros por mês.

Os auxílios são distribuídos pelo Escritório para Cooperação e Mobilidade
Acadêmica do Serviço de Intercâmbio Austríaco, com recursos do Ministério
Federal de Educação, Ciência e Cultura da Áustria.
Mais informações: http://www.scholarships.at

http://www.grants.at/

FONTE: http://www.agencia.fapesp.br/materia/11580/noticias/bolsas-na-austria.htm

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Meio Ambiente - Prefeitura de Belo Horizonte vai abrir inscrições para curso de Educação Ambiental

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) vai abrir inscrições nos dias 11 e 12 de fevereiro, das 9h às 17h, para o XX BH Itinerante: Curso de Extensão em Educação Ambiental. A atividade tem carga horária de 110 horas-aula e acontecerá todas as quartas-feiras entre 3 de março a 14 de julho deste ano, de 13h30 às 17h, na Sala Verde da secretaria (avenida Afonso Pena, 4000, 6º andar, Cruzeiro). O curso mescla aspectos teóricos e práticos na abordagem de temas socioambientais, tendo a cidade de Belo Horizonte como espaço de ensino e aprendizagem. No seu conteúdo programático estão temas como Agenda 21, conflitos ambientais urbanos e políticas públicas de meio ambiente.

Coordenado por Maria Márcia de Miranda e Fátima Cristina Sampaio Luz, a capacitação inclui travessias urbanas, visitas orientadas, palestra e grupos de debates, além de um trabalho final que pode ser a realização de uma travessia ou oficina de educação.
A Educação Ambiental é um processo de construção de novos valores, atitudes e posturas, a partir de uma educação que resgate a cidadania. Um de seus princípios é o questionamento dos processos de produção econômica e dos hábitos humanos, em busca de uma relação apropriada e justa com o meio ambiente.As inscrições estão abertas para maiores de 16 anos e devem ser feitas pessoalmente. Terão prioridade candidatos que já participaram de atividades promovidas pela Gerência de Educação Ambiental (Geeda), comprovados mediante a apresentação de certificados.
Informações pelo telefone 3277-5199.

Fonte: http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/noticia.do?evento=portlet&pAc=not&idConteudo=35192&pIdPlc=&app=salanoticias

domingo, 17 de janeiro de 2010

OS EDUCADORES TÊM, POR MAIS QUE IGNOREM, UM PODER MUITO CRUEL; O DE PODAR OS SONHOS DOS EDUCANDOS!

NÃO SEJA MAIS UM A FAZER ISSO: RESPEITE A DIVERSIDADE E A REALIDADE DOS SEUS ALUNOS!

"Aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Agora assiste a tudo
Em cima do muro(...)
Ideologia, eu quero uma prá viver!"
(Trecho da Música Ideologia - Cazuza)

NÃO PERMITA QUE O SEU ALUNO, QUE CERTAMENTE PODE FAZER ALGO PARA MELHORAR O MUNDO, SEJA MAIS UM A FICAR ESTAGNADO EM CIMA DO MURO! FAÇA A DIFERENÇA!

_ "A TRÁGÉDIA NO HAITI ESTÁ SENDO BOA" ! É O QUE AFIRMA Gerge Samuel Antonie (Cônsul do Haiti no Brasil)

ESTOU CANSADA DE OUVIR AS PESSOAS CHAMAREM ALGUNS PENSAMENTOS E DIZERES DÉSPOTAS E MEDÍOCRES DE "GAFE"!

ORA, SEGUNDO O CÔNSUL DO HAITI NO BRASIL, Gerge Samuel Antonie"(em minúscula para ser condizente com o pensamento do mesmo) "O TERREMOTO, QUE CAUSOU TANTAS MORTES NAQUELE PAÍS, ESTÁ SENDO "BOM" E O "POVO AFRICANO É UM POVO AMALDIÇOADO". A REPORTAGEM FEITA COM O CÔNSUL FOI EXIBIDA EM 14/01/2010 PELO JORNAL DO SBT.

ASSISTA ESSA ENTREVISTA: http://www.youtube.com/watch?v=_K5lBkDcYf8

PARA SER MAIS PRECISA, O CÔNSUL DISSE QUE: _'A desgraça de lá esté sendo uma boa para gente, fica conhecido - disse ele, para em seguida comentar em tom de ironia os efeitos da religião no Haiti. - Acho que de tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo. O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano tá foda'.]

ASSIM, IMAGINO QUE "esse homem" NÃO CONHECE, NÃO QUER CONHECER E NEM RESPEITAR AS FAMÍLIAS NEGRAS E AFRICANAS. COMO PODE SER CÔNSUL DE UM PAÍS UM DETERMINADO SER "DESUMANO" QUE NÃO RESPEITA A DOR DOS OUTROS E QUE NÃO É CONDIZENTE COM A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS QUANDO ESSA AFIRMA QUE:
- Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei;
- Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação e que Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

COMO SÃO DELEGADAS RESPONSABILIDADES ACERCA DE UM PAÍS PARA ALGUÉM QUE NÃO CONHECE A HISTÓRIA E A CULTURA DA POPULAÇÃO QUE ALI HABITA? COMO QUALQUER RESPONSABILIDADE PODE SER DADA A ALGUÉM QUE NÃO SABE O SIGNIFICADO DA PALAVRA "RESPEITO"?

Que se fechem todas as portas,mas que deixem uma pequena fresta para que eu possa sonhar em passar! Vulto Madhib

PRECISA-SE DE LOUCOS

De loucos uns pelos outros! Que em seus surtos de loucura espalhem alegria; com habilidades suficientes para agir como treinadores de um mundo melhor, que olhem a ética, respeito às pessoas e responsabilidade social, não apenas como princípios organizacionais, mas como verdadeiros compromissos com o Universo.

Precisa-se de loucos de paixão, não só pelo trabalho, mas principalmente por gente, que vejam em cada ser humano o reflexo de si mesmo, trabalhando para que velhas competências dêem lugar ao brilho no olhar e a comportamentos humanizados.

Precisa-se de loucos por novas tendências, mas que caminhem na contramão da história, ouvindo menos o que os gurus têm a dizer sobre mobilidade de capitais, tecnologia ou eficiência gerencial e ouvindo mais seus próprios corações.

Precisa-se de loucos poliglotas que não falem inglês, espanhol, francês ou italiano, mas que falem a língua universal do amor; do amor que transforma, modifica e melhora, pois, palavras não transformam empresas e sim atitudes.

Precisa-se, simplesmente, de loucos de amor; de amor que transcende toda a hierarquia, que quebra paradigmas; amor que cada ser humano deve despertar e desenvolver dentro de si e pôr a serviço da vida própria e alheia; amor cheio de energia, amor do diálogo, da compreensão, amor partilhado, transcendental.

As Organizações precisam urgentemente de loucos, capazes de implantar novos modelos de gestão, essencialmente focados no SER, sem receios de serem chamados de insanos, que saibam que a felicidade consiste em realizar as grandes verdades e não somente em ouvi-las.

SOLIDARIEDADE PARA COM O POVO HAITIANO!


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Flag_of_Haiti.svg

NÃO FICO FELIZ EM SABER QUE O HAITI, UM PAÍS DO POVO NEGRO, TENHA SE TORNADO "CONHECIDO" APENAS PELA TRAGÉDIA DESSES TERREMOTOS.

NO GERAL, AS PESSOAS QUE CONVIVO E BOA PARTE DOS NOTICIÁRIOS, QUANDO CITAVAM O "HAITI" - SE É QUE O CITAVAM - FALAVAM TÃO SOMENTE DA POBREZA E DA MASSACRANTE MISÉRIA ALI EXISTENTE.

TENHO PENSADO AGORA, DO AUGE DO MEU SABER INSOSSO, E A CULTURA HAITIANA? E O POVO HAITIANO? QUEM JÁ DAVA VALOR PARA ESSES?

SERÁ QUE NÓS 'POBRES' E NÓS 'NEGROS POBRES' SÓ TEREMOS VALOR SOCIAL, OU RECONHECIMENTO SOCIAL, EM MOMENTOS DE DESASTRES?

ALMEJO E QUERO CONTRIBUIR PARA QUE NOSSA LUTA FAÇA COM QUE ESSE RESPEITO E VALORIZAÇÃO DO POVO NEGRO SE TORNE ALGO CONCRETO, TANTO EM TEMPO DE PAZ QUANTO EM TEMPO DE INFORTÚNIO.

AH, PARA QUEM DIZIA - PORQUE CREIO QUE DEVEM TER DEIXADO ESSE DIZER DE LADO - OU PARA QUEM AINDA INSISTE EM DIZER QUE O HAITI É AQUI... DEFINITIVAMENTE, O HAITI NÃO É AQUI... O HAITI NUNCA FOI AQUI, POIS, NO GERAL, NÃO TEMOS COMPROMETIMENTO COM O POVO HAITIANO.

QUE TENHAMOS, PELO AO MENOS, SOLIDARIEDADE... É O MÍNIMO QUE SE PODE ESPERAR DE NÓS!

TÂNIA BATISTA TEODORO

AJUDE O 'NOSSO POVO HAITIANO'!
http://www.unicef.org/brazil/pt/media_16754.htm?gclid=CNTVl9SUw58CFQk65QodMiqtzw

UNICEF no Brasil recebe doações para as vítimas do terremoto no Haiti

Uma vez que quase a metade da população do Haiti tem menos de 18 anos, o UNICEF possui um papel especialmente decisivo e espera conseguir pelo menos 120 milhões de dólares, em todo o mundo, para sua ação de ajuda humanitária às vítimas do terremoto do último dia 12 de janeiro.

Em um primeiro momento, os esforços do UNICEF para ajudar a salvar vidas e contribuir para a recuperação do Haiti estarão focados no abastecimento de água potável e saneamento, na alimentação terapêutica para bebês e crianças pequenas, no fornecimento de medicamentos e abrigos temporários.

Como ajudar
O UNICEF no Brasil está recebendo doações para as vítimas do terremoto no Haiti. As doações podem ser feitas em favor do Fundo das Nações Unidas para a Infância, no Banco do Brasil; agência 3382-0; conta-corrente nº 404700-1. O CNPJ do UNICEF é 03744126/0001-69.

Essa arrecadação do UNICEF no Brasil está sendo feita em articulação com as outras agências do Sistema ONU e tem como foco prestar socorro às crianças e aos adolescentes vítimas do terremoto.

Mais informações sobre as doações podem ser obtidas pelo telefone 0800 601 8407.

Fonte: UNICEF BRAZIL - http://www.unicef.org/brazil

NÃO TRATE COMO PRIORIDADE QUEM TE TRATA COMO OPÇÃO!

O menestrel - shakespeare

Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se,
que companhia nem sempre significa segurança,
e começa a aprender que beijos não são contratos,
e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,
com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança;
aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo,
e aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai ferí-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais,
e descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida;
aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias,
e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida,
e que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que eles mudam;
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas;
pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar-se com os outros,
mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde se está indo,
mas se você não sabe para onde está indo qualquer lugar serve.
Aprende que ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se;
aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou;
aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha;
aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens;
poucas coisas são tão humilhantes... e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando se está com raiva se tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame
não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,
pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém;
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás, portanto,
plante seu jardim e decore sua alma ao invés de esperar que alguém lhe traga flores,
e você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
Descobre que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras
e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar,
se não fosse o medo de tentar.

QUASE - Sarah Westphal Batista da Silva

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.

É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.

Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor, não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.

A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.

Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.

De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.

Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Epitáfio -Titãs Composição: Sérgio Britto

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...
Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe alegria
E a dor que traz no coração...
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...
Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...
Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr...

domingo, 10 de janeiro de 2010

2010 SERÁ UM ANO MUITO VIRTUOSO PARA TODOS NÓS! QUE SEJAMOS CAPAZES DE TORNAR FELIZ ESSE ANO NOVO! *QUEREMOS MENOS DESIGUALDADES E MAIS OPORTUNIDADES!


Morro de favela - Tarsila do Amaral. Disponível em: http://www.tarsiladoamaral.com.br/index_frame.htm

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é" e cada um sabe o quanto é difícil ser ele mesmo e continuar a sonhar e a lutar!

A Estrada - Cidade Negra

Você não sabe
O quanto eu caminhei
Prá chegar até aqui
Percorri milhas e milhas
Antes de dormir
Eu nem cochilei
Os mais belos montes
Escalei
Nas noites escuras
De frio chorei...

A vida ensina
E o tempo traz o tom
Prá nascer uma canção
Com a fé do dia-a-dia
Encontro a solução...

Quando bate a saudade
Eu vou pro mar
Fecho os meus olhos
E sinto você chegar
Você, chegar...

Quero acordar de manhã
Do teu lado
E aturar qualquer babado
Vou ficar apaixonado
No teu seio aconchegado
Ver você dormindo
E sorrindo
É tudo que eu quero prá mim
Tudo que eu quero prá mim...

Você não sabe
O quanto eu caminhei
Prá chegar até aqui
Percorri milhas e milhas
Antes de dormir
Eu nem cochilei
Os mais belos montes
Escalei
Nas noites escuras
De frio chorei,
Together..Together..

Meu caminho só meu pai
Pode mudar
Meu caminho só meu pai...

Veja o clip dessa música no You Tube
http://www.youtube.com/watch?v=v7rXgogsqs0&feature=related

TARSILA AMARAL - Conheça a vida e a obra da artista




Biografia de Tarsila do Amaral -
Fonte (Texto e imagens): http://www.tarsiladoamaral.com.br/index_frame.htm



Tarsila Amaral nasceu em 1º de setembro de 1886 na Fazenda São Bernardo, município de Capivari, interior do Estado de São Paulo. Filha de José Estanislau do Amaral e Lydia Dias de Aguiar do Amaral. Era neta de José Estanislau do Amaral, cognominado “o milionário” em razão da imensa fortuna que acumulou abrindo fazendas no interior de São Paulo. Seu pai herdou apreciável fortuna e diversas fazendas nas quais Tarsila passou a infância e adolescência.

Estuda em São Paulo no Colégio Sion e completa seus estudos em Barcelona, na Espanha, onde pinta seu primeiro quadro, “Sagrado Coração de Jesus”, aos 16 anos. Casa-se em 1906 com André Teixeira Pinto com quem teve sua única filha, Dulce. Separa-se dele e começa a estudar escultura em 1916 com Zadig e Mantovani em São Paulo. Posteriormente estuda desenho e pintura com Pedro Alexandrino. Em 1920 embarca para a Europa objetivando ingressar na Académie Julian em Paris. Frequenta também o ateliê de Émile Renard. Em 1922 tem uma tela sua admitida no Salão Oficial dos Artistas Franceses. Nesse mesmo ano regressa ao Brasil e se integra com os intelectuais do grupo modernista. Faz parte do “grupo dos cinco” juntamente com Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti del Picchia. Nessa época começa seu namoro com o escritor Oswald de Andrade. Embora não tenha sido participante da “Semana de 22” integra-se ao Modernismo que surgia no Brasil, visto que na Europa estava fazendo estudos acadêmicos.

Volta à Europa em 1923 e tem contato com os modernistas que lá se encontravam: intelectuais, pintores, músicos e poetas. Estuda com Albert Gleizes e Fernand Léger, grandes mestres cubistas. Mantém estreita amizade com Blaise Cendrars, poeta franco-suiço que visita o Brasil em 1924. Inicia sua pintura “pau-brasil” dotada de cores e temas acentuadamente brasileiros. Em 1926 expõe em Paris, obtendo grande sucesso. Casa-se no mesmo com Oswald de Andrade. Em 1928 pinta o “Abaporu” para dar de presente de aniversário a Oswald que se empolga com a tela e cria o Movimento Antropofágico. É deste período a fase antropofágica da sua pintura. Em 1929 expõe individualmente pela primeira vez no Brasil. Separa-se de Oswald em 1930.

Em 1933 pinta o quadro “Operários” e dá início à pintura social no Brasil. No ano seguinte participa do I Salão Paulista de Belas Artes. Passa a viver com o escritor Luís Martins por quase vinte anos, de meados dos anos 30 a meados dos anos 50. De 1936 à 1952, trabalha como colunista nos Diários Associados.

Nos anos 50 volta ao tema “pau brasil”. Participa em 1951 da I Bienal de São Paulo. Em 1963 tem sala especial na VII Bienal de São Paulo e no ano seguinte participação especial na XXXII Bienal de Veneza. Faleceu em São Paulo no dia 17 de janeiro de 1973.

MAIS SOBRE A VIDA E A OBRA DE TARSILA AMARAL NO SITE:
http://www.tarsiladoamaral.com.br

"Todo dia, toda hora, na batida da evolução"

ÀS VEZES, OU QUASE SEMPRE, PARECE QUE OS NOTICIÁRIOS ANUNCIAM AS MESMAS COISAS TODOS OS DIAS "VIOLÊNCIA" - EM SUAS DIVERSAS FORMAS E EM DISTINTAS LOCALIDADES!

DE UMA COISA EU TENHO CERTEZA; ELES ESTÃO ME MOSTRANDO MUITO MAIS DO QUE AQUILO QUE VIVO DIARIAMENTE E MUITO MENOS DO QUE TODA VIOLÊNCIA QUE EXISTE!

OUVI DIZER QUE ESTAMOS EVOLUINDO(...);
CONTUDO, O QUE VEM A SER EVOLUÇÃO?
SERÁ QUE PARA ALCANÇARMOS O AUGE DESSA "TAL EVOLUÇÃO",
- CONTINUANDO AGINDO COMO AGIMOS ATÉ HOJE - SERÁ NECESSÁRIO DESTRUIRMOS A NÓS MESMOS ENQUANTO "HUMANIDADE"? (...) ISSO É SÓ "MAIS UMA INCÓGNITA"! TÂNIA B. TEODORO


"A verdade prova que o tempo é o senhor dos dois destinos,já que pra ser homem tem que ter a grandeza de um menino. No coração de quem faz a guerra nascerá uma flor amarela como um girassol". (Girassol - Cidade Negra)

- Veja o clip no You Tube -
http://www.youtube.com/watch?v=aYfM7zF2V1c

Imparcialidade?

Fico impressionada quando as pessoas, sobretudo os educadores, me dizem que são imparciais no que se refere a determinados assuntos.

Me diga então, o que vem a ser a imparcialidade?

Segundo o dicionário a imparcialidade é interpretada como a qualidade daquele ou daquilo que é imparcial; justo, que não tem partido, que não favorece um em detrimento do outro.

Muitas pessoas acreditam que quando se calam, para se valer de sua imparcialidade, estão sendo justas(...).

Justas?

Mas, com quem?
Com aquele que está sendo oprimido ou julgado pelos seus erros? Com aquele que julga?
O que é a justiça dos homens? Será que a denominada "justiça da imparcialidade" não é mais uma forma "desumana" de fazer e querer a justiça?

Por causa desses questionamentos é que eu não creio no silêncio da imparcialidade e digo mais, é por causa do silêncio dos imparciais que a voz daqueles que tomam partido não ecoam...

A imparcialidade é a sutil maneira de "viver em cima do muro" e "viver em cima do muro" é uma forma falsa de se defender para não defender mais ninguém.

Para melhor elucidar, imparcialidade é diferente de incompreensão, de ignorância.
Se eu não entendo o assunto em questão, eu não estou sendo "imparcial" e sim "pouco informada", portanto posso decidir não me arriscar a me posicionar.

Mas, se eu compreendo o assunto debatido e me recuso a me posicionar, eu estou sendo negligente e hipócrita!

Tudo bem que, mesmo cientes do que está em debate ou do que gerou algum conflito, nem sempre devemos expressar instantaneamente o que pensamos(...); devemos esperar o momento mais apropriado. Todavia, esperar o momento mais apropriado é diferente de ser imparcial; é ser coerente e cauteloso.

Tenho experiencidado cotidianamente que é praticamente impossível viver nesse mundo tão caótico e desigual sem nos posicionar!

Quem vive da imparcialidade que me desculpe, mas passou da hora dessa pessoa acordar e passar a se posicionar diante dos fatos e das pessoas, pois a imparcialidade é simplesmente a arma mais ilusória da covardia!


Em suma, ninguém tem que acreditar no que você pensa e você, também, não tem que "pregar" aquilo que você crê e muito menos objetivar que os outros aceitam sua forma de ser ou de pensar. Mas, você tem o direito de expor o que pensa - desde que isso não discrimine o outro - e tem o direito-dever de exigir que os outros respeitem como você se posiciona. Tânia B. Teodoro

domingo, 3 de janeiro de 2010

TEMOS QUE REPENSAR TODOS OS DIAS O QUE QUEREMOS PARA OS NOSSOS "GURIS"

MEU GURI - Chico Buarque de Holanda

Quando, seu moço
Nasceu meu rebento
Não era o momento
Dele rebentar
Já foi nascendo
Com cara de fome
E eu não tinha nem nome
Prá lhe dar
Como fui levando
Não sei lhe explicar
Fui assim levando
Ele a me levar
E na sua meninice
Ele um dia me disse
Que chegava lá
Olha aí! Olha aí!
Olha aí!
Ai o meu guri, olha aí!
Olha aí!
É o meu guri e ele chega!
Chega suado
E veloz do batente
Traz sempre um presente
Prá me encabular
Tanta corrente de ouro
Seu moço!
Que haja pescoço
Prá enfiar
Me trouxe uma bolsa
Já com tudo dentro
Chave, caderneta
Terço e patuá
Um lenço e uma penca
De documentos
Prá finalmente
Eu me identificar
Olha aí!
Olha aí!
Ai o meu guri, olha aí!
Olha aí!
É o meu guri e ele chega!
Chega no morro
Com carregamento
Pulseira, cimento
Relógio, pneu, gravador
Rezo até ele chegar
Cá no alto
Essa onda de assaltos
Tá um horror
Eu consolo ele
Ele me consola
Boto ele no colo
Prá ele me ninar
De repente acordo
Olho pro lado
E o danado já foi trabalhar
Olha aí!
Olha aí!
Ai o meu guri, olha aí!
Olha aí!
É o meu guri e ele chega!
Chega estampado
Manchete, retrato
Com venda nos olhos
Legenda e as iniciais
Eu não entendo essa gente
Seu moço!
Fazendo alvoroço demais
O guri no mato
Acho que tá rindo
Acho que tá lindo
De papo pro ar
Desde o começo eu não disse
Seu moço!
Ele disse que chegava lá
Olha aí! Olha aí!
Olha aí!
Ai o meu guri, olha aí
Olha aí!
E o meu guri!...

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

"A cidadania existe quando o indivíduo aceita suspender seu ponto de vista privado para levar em consideração o bem comum(...)". Jean-François

"A história da cidadania confunde-se em muito com a história das lutas pelos direitos humanos. A cidadania esteve e está em permanente construção; é um referencial de conquista da humanidade, através daqueles que sempre lutam por mais direitos, maior liberdade, melhores garantias individuais e coletivas, e não se conformam frente às dominações arrogantes, seja do próprio Estado ou de outras instituições ou pessoas que não desistem de privilégios, de opressão e de injustiças contra uma maioria desassistida e que não se consegue fazer ouvir, exatamente por que se lhe nega a cidadania plena cuja conquista, ainda que tardia, não será obstada. Ser cidadão é ter consciência de que é sujeito de direitos. Direitos à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade, enfim, direitos civis, políticos e sociais. Mas este é um dos lados da moeda. Cidadania pressupõe também deveres. O cidadão tem de ser cônscio das suas responsabilidades enquanto parte integrante de um grande e complexo organismo que é a coletividade, a nação, o Estado, para cujo bom funcionamento todos têm de dar sua parcela de contribuição. Somente assim se chega ao objetivo final, coletivo: a justiça em seu sentido mais amplo, ou seja, o bem comum".

Artigo Jurídico: "O que é cidadania?". Autor: Marcos Silvio de Santana Disponível em:
http://www.advogado.adv.br/estudantesdireito/fadipa/marcossilviodesantana/cidadania.htm

NÃO HÁ DESCULPAS!

"Boris Casoy comete gafe e humilha garis ao vivo"

No "Jornal da Band" do último dia 31, o âncora Boris Casoy passou por uma bela "saia justa". Durante o programa, após as felicitações de Ano Novo de uma dupla de garis, o jornalista não percebeu que o microfone estava aberto e falou o que pensava.

"Que m****... dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho...", disse Boris Casoy.

O apresentador, por meio da assessoria de imprensa da Band, reconheceu a ofensa que cometeu contra os garis e prometeu se retratar durante a edição de hoje (1º/01/2010) do programa".

Veja na página:
http://br.noticias.yahoo.com/s/01012010/48/entretenimento-boris-casoy-comete-gafe-humilha.html

NÃO HÁ DESCULPAS!

O QUE BORIS CASOY FEZ NÃO FOI, SIMPLESMENTE, COMETER UMA GAFE!
MUITO MAIS DO QUE UMA INCONVENIÊNCIA, ELE COMETEU UM DESRESPEITO CONTRA OS GARIS!
NÃO SOMENTE AQUELES QUE ESTAVAM DESEJANDO UM FELIZ ANO NOVO NO PROGRAMA, E SIM CONTRA TODOS OS GARIS E OS TRABALHADORES QUE EXECUTAM ATIVIDADES SEMELHANTES.

QUER DIZER QUE POR SEREM GARIS AQUELES DOIS TRABALHADORES NÃO TÊM O DIREITO DE SE PRONUNCIAR EM UM CANAL DE TV? ORA, QUE IMPORTA SE SÃO GARIS? O TRABALHO QUE FAZEM É UM TRABALHO HONESTO E NÃO HÁ CIDADE QUE DEIXE DE NECESSITAR DELES!

ALÉM DO MAIS, INÚMERAS VEZES OUVIMOS PRONUNCIAMENTOS DE POLÍTICOS CORRUPTOS, PERGUNTO ENTÃO, POR QUAL RAZÃO NÃO OUVIRÍAMOS ESSES OU OUTROS TRABALHADORES?

AH, TALVEZ PORQUE O BORIS CASOY SE JULGUE SUPERIOR A ELES?! FAZ-ME RIR!

MUITO ME ENTRISTECE SABER QUE UM JORNALISTA AINDA CONSEGUE PENSAR TÃO PEQUENO.

DE OUTRO LADO, FICO MUITO FELIZ QUE AS PESSOAS TENHAM A OPORTUNIDADE DE SABER O PENSAMENTO DO OUTRO, POIS ESPERO QUE ESSAS PESSOAS AO DESCOBRIR ESSE "PENSAR PEQUENO, DISCRIMINATÓRIO E DESRESPEITOSO" POSSA SELECIONAR MELHOR OS PROGRAMAS QUE ASSISTEM E DEIXAR DE DAR AUDIÊNCIA À POUCA VERGONHA - OU FALTA DELA - QUE EXISTE NA MÍDIA TELEVISIVA.

TEMOS QUE SER RADICAIS QUANDO SE TRATA DE SITUAÇÕES QUE DESVALORIZAM AS PESSOAS, POIS ESSES SERES HUMANOS ESTÃO TRABALHANDO MUITO PARA VIVEREM, OU SOBREVIVEREM, EM UM MUNDO DE INJUSTIÇAS E DESIGUALDADES!

APROVEITO, TAMBÉM, PARA CORRIGIR BORIS CASOY QUANDO O MESMO DIZ QUE "OS LIXEIROS ESTÃO NA MAIS BAIXA ESCALA DO TRABALHO".

BORIS, PRESTE BEM ATENÇÃO: _ ELES NÃO ESTÃO NESSE PATAMAR, POIS A MAIS BAIXA ESCALA DO TRABALHO ESTÁ NO TRABALHO SUJO QUE MUITOS CORRUPTOS E CRIMINOSOS SE DELICIAM AO FAZER E, SOBRETUDO, NO TRABALHO RIDÍCULO DE DIFUNDIR OPINIÕES TÃO CRETINAS QUANTO ESSA SUA A RESPEITO DA PROFISSÃO DELES - SEJA POR RAZÃO DE UMA "GAFE" OU NÃO!
TÃNIA B. TEODORO

Saiba mais sobre "Boris Casoy":
http://pt.wikipedia.org/wiki/Boris_Casoy

Veja o vídeo tema desta postagem no you tube: Jornal da Band Humilhação aos garis
http://www.youtube.com/watch?v=f_E4j7vi3js&feature=player_embedded

Pesquise aqui...


“Como professor, não me é possível ajudar o educando a superar sua ignorância, se não supero permanentemente a minha”. Paulo Freire

ARQUIVO DO BLOG