terça-feira, 9 de abril de 2013

Saiba mais: NETIQUETA

Ilustração conceitual de comunicação por computador
1. Ao encaminhar suas mensagens, encaminhe a mensagem que REALMENTE contém o anexo ou o texto desejado já no anexo, e não aquela que está em sua "Caixa de Entrada". Fazendo isso, o seu destinatário NÃO terá que abrir 10 anexos para poder chegar ao que realmente interessa. Além disso, aquele montão de endereços eletrônicos pelos quais a mensagem já passou também não aparecerá, para que depois sejam "ROUBADOS" pelos senhores /spammers/, que são os chatos que te mandam os e-mails que você não solicitou e não sabe, sequer, de onde veio.
 
Caso o texto de sua mensagem contenha endereços eletrônicos, apague-os, antes de "re-encaminhar". Quem receber sua mensagem, vai abrir diretamente o anexo, com apenas um clic do mouse, e não aquela neurose de ter que ficar abrindo 5, 8, 10 anexos até se chegar onde está o arquivo desejado.

2. Quando for mandar uma mensagem para mais de uma pessoa, não envie com o "Para" nem com o "Cc", envie com o "CCO" (Com cópia oculta), que NÃO mostra o endereço eletrônico de nenhum destinatário. A pessoa vai simplesmente recebê-la, mas não saberá quem são os demais destinatários.

3. Retire do título (Assunto) de sua mensagem os "En", "Enc", "Fwd", "Re", Res", e deixe somente o assunto, porque além de deselegante, essa é uma das formas dos /spammers/ saberem que a mensagem tem muitos endereços ali "dando sopa". E podem também reparar, que estas mensagens contém, pelo menos, muitos endereços de e-mails diferentes . Quando todos fizermos isso, livraremos a Internet da maioria dos vírus e propagandas indesejadas. (Vão colocando e-mail dentro de e-mail, quando chega é uma mão de obra tão grande, além do peso em KBs que aumenta.)

4. NÃO existe nenhum projeto para ser votado no Congresso que reduzirá a área da Floresta Amazônica em 50%; e nem para deixar de cobrar pedágio; portanto NÃO perca tempo nem "pague mico" assinando e repassando aqueles furiosos abaixo-assinados de protesto, ou comunicando este tipo de coisa.
Ilustração de computador
5. Você NÃO vai morrer nem ter má sorte no amor ou algo semelhante, se "arrebentar" uma corrente. Isso não é questão religiosa.

6. Escrever um e-mail ou enviar qualquer coisa pela Internet é tão fácil quanto rabiscar os muros de uma área pública. NÃO acredite automaticamente em tudo. Observe o texto, reflita, analise, tudo isto antes de repassar aos seus amigos.

7. Quando receber mensagens pedindo ajuda para alguém, com alguma foto comovente, não repasse apenas "para fazer a sua parte"... Pode haver alguém cheio de má intenção por traz deste e-mail. Analise-o, se houverem dados do enfermo/aleijado, consulte o telefone, verifique a veracidade das informações. Se o telefone for um celular, mesmo depois de confirmar dados, não creia. Afinal, próximo de sua casa, há sempre alguém carente que você poderá ajudar efetivamente, se esta for sua opção de vida, tão digna, porém, explorada por mal intencionados.

8.Cuidado! Muito cuidado ao repassar mensagens-lista de dados de pessoas, que a cada um vai assinando, colocando seus endereços e telefones reais... Podem facilmente serem utilizados por assaltantes, seqüestradores, meliantes
maus elementos, etc. etc.

9. Agora SIM, RE-ENVIE esta mensagem a seus amigos e conhecidos, e ajude-os a colocar ORDEM nessa imensa casa chamada Internet. E lembre-se, cada dia chegam milhares de inexperientes na Internet, e quanto mais pudermos esclarecer
será de grande valia a todos. Sempre repasse, ao máximo de pessoas possível, este tipo de informação... Afinal, esses detalhes não se aprendem em escolas, mas aqui, através da boa vontade de uns para com os outros e estimulando-os a
exercer este direito.
Mulher empurrando carrinho de bebê com computador dentro
10. E nunca se melindre por alguém estar lhe corrigindo algum destes erros aqui mencionados... Talvez você apenas tenha sido mais uma vitima "cheia de boas intenções" e nem seria preciso repetir aquele provérbio:
"De boas intenções o inferno está cheio".

Nenhum comentário:

Pesquise aqui...


“Como professor, não me é possível ajudar o educando a superar sua ignorância, se não supero permanentemente a minha”. Paulo Freire